O Hábito da Leitura: como cultivá-lo se não temos tempo?

Por Marcia Saito

O resultado que interessa na leitura é ler um livro até o final, não importando quanto tempo se demorou.

Já ouvi centenas de pessoas com o mesmo discurso “de que não têm tempo” ou perguntando “como você arranja tempo para ler?”. Esta última soou como se ler fosse um luxo, até mesmo perda de tempo. Então, para aqueles que realmente interessam-se em otimizar o hábito de leitura, aqui vão algumas dicas que, com um pouco de organização e vontade, farão sua leitura ser digna de um atleta saudável de cultura.

1) Reserve alguns minutos para leitura
Atualmente não lastimo uma fila ou o tempo que o transporte demora. Mesmo que pareça pouco, mas 5 minutos dá para ler pelo menos umas 2 páginas ou mais, dependendo do tamanho da fonte do texto. Página a página se conquista o livro proposto. Não deixe que a quantidade o desanime. Em toda viagem que um livro nos proporciona são vencidas muitas páginas de texto.

2) Deixe por perto o livro que vai ler. Ou em dispositivos móveis para ler a qualquer momento.
É aquele princípio de que, se está à vista, se faz a presença física. Nada adianta se o livro fica no fundo da sacola ou bolsa. Ao invés de jogar aquele joguinho viciante, leia um livro. Os minutos gastos na leitura têm uma vantagem sobre o jogo: a cultura que se adquire na leitura supera o prazer vazio que o jogo proporciona. Acredito que a leitura em dispositivos móveis é mais rápida, pois a energia e esforço de mudança de página é mais simples do que a de folhear no papel.

3) Leia por intervalos
Pode parecer coisa de Maria, mas desenvolvi o hábito de leitura durante o preparo das refeições. Enquanto espero o filé dourar, ou mesmo o arroz cozinhar, leio o quanto posso nesse intervalo de espera. Queira ou não, alguns intervalos vão de 5 a 15 minutos, ou até mais. É o tempo necessário para ler pelo menos umas 4 páginas, dependendo do tipo de literatura. O engraçado é que quando lia Jane Austen, algumas vezes quase cheguei a queimar o que estava preparando, devido ao texto dela ser mais elaborado, ter os parágrafos longos. Não dava para pausar simplesmente enquanto ocorria algo interessante. Aproveita-se até intervalos comerciais, dependendo do canal de tv. Dependendo do canal, o intervalo chegam a quase 6 minutos ou mais. Tive a moral de medir esse tempo em que enchem de propagandas chatíssimas.

4) Eleja a “hora da leitura”
Se a prática da leitura a qualquer minuto é estressante, adote a “hora da leitura”. Reserve o tempo que precisar, mas com a diferença de que seja realizada no mesmo horário e pela mesma quantidade de tempo dispendida. Qual a razão disso? Com a adoção de horários para determinadas tarefas, o cérebro se condiciona a tal hora para realização de tal tarefa. Ou seja, plantando um hábito em um respectivo horário, o seu cérebro se reprograma a aceitar e esperar por tal tarefa. Pode não acreditar, mas quando você deixa de realizar a tal tarefa naquele horário ou lugar, certamente sentirá falta.

5) Leia por capítulos
Isso é bem útil, principalmente quando são curtos. Particularmente, é detestável parar de ler no meio do capítulo ou quando ocorre algum evento importante na trama do livro. Portanto, é aceitável parar naquela fase de “enrolação” ou que não fará diferença se voltar em outro momento de leitura.

6) Leia um livro de cada vez
Ler 2 ou 3 livros ao mesmo tempo não é um ato aconselhável. Você corre o risco de misturar as histórias, a não ser que sejam de literaturas muito distintas (tipo romance policial, contos de fantasia ou filosofia, por exemplo). Quando ocorre a confusão ou a incerteza, você é obrigado a retroceder na leitura e, ao voltar as páginas, você estará perdendo tempo. Pode ocorrer até de reler tudo de novo, principalmente se esqueceu de tudo que se passou na história.

7) Intervale os tipos de literaturas
Quando leu algo que foi penoso ou difícil de ler, escolha o próximo livro de estilo ou gênero mais leve. Isso dá um descanso ao cérebro para assimilar outros tipos de conceitos. Isso é bom principalmente se tem que ler materiais técnicos (no meu caso, programação) ou se se acostumou a um tipo só de literatura. Não é nada mal intervalar livros de literatura ou de filosofia com outro de literatura juvenil, por exemplo. A variedade é boa para não enjoar e manter aceso o interesse pela leitura.

8) Cumpra metas
Se pensarmos que existem somente obrigações, a aceitação de mais uma tornaria algo prazeroso em uma tortura infindável. O que é um erro, principalmente se aceita ler mais que a realidade poderia permitir. Seja mais gentil consigo e adote metas reais, do tipo um livro ao mês, por exemplo, ou um por semana, se quiser alcançar um patamar mais elevado.
O resultado que interessa na leitura é ler um livro até o final, não importando quanto tempo se demorou.

9) Não leia por obrigação
A morte do interesse pela leitura é chamada Obrigação. Quer que uma pessoa jamais leia um livro da maneira certa, basta obrigá-la a ler por algum motivo que dependa disso, de ser algo obrigatório. O interesse pela leitura somente existirá se for movido pela curiosidade.

10) Tire as distrações da frente
Televisão, conversas longas demais sobre assuntos intermináveis, internet. Tudo isso pode ser dosado muito bem. Apenas pense, fique com a seguinte pergunta: você realmente precisa daquilo? Nada contra em assistir à tv, mas assistir apenas uma horinha, conversar somente o necessário não vai magoar a outra pessoa, principalmente se o motivo for algo aceitável como a leitura de um livro. Isto pode até virar assunto para conversas futuras interessantes, fortificando os laços sociais.

11) Anote suas impressões
Gostou do livro que acabou de ler? Escreva o que achou. Esse hábito de escrever sobre o que leu é bom para avivar a memória e também colocar em questão pontos que não entendeu ou com os quais não concordou. E pode virar assunto em uma roda de amigos. Costumo escrever resenhas não só pelo ato de ler, que começou para mim como uma terapia para vencer a depressão. Tornou-se um exercício a partir do momento que decidi investir na escrita profissional. Tem sido ótimo, pois atualmente a leitura ficou mais aprofundada, atenta aos detalhes que antes não me preocupava em me ater.

12) Compartilhe suas impressões
Ler é algo solitário, quase um ato meditativo. É o momento que se reserva para si, portanto, algo que as pessoas em volta podem não compreender. Nada mais edificante do que acender o interesse pela leitura em pessoas que têm a vontade para tal. Compartilhar algo do livro que acabou de conhecer é algo que pode cativar o próximo leitor.

13) Aprenda a ler rápido
É algo que se adquire somente com a prática e dependendo do tipo de leitura. Livros que possuam grandes parágrafos com descrições, esse podem ser lidos com o passar de olhos. Algumas vezes valho-me da técnica de leitura dinâmica, em que leio as palavras-chave, o suficiente para saber de certos aspectos da história. Você não vai perder nada se deixar de ler os pronomes e outros que somente fazem a ligação de frases. Se estiver em uma parte em que notadamente o autor “enche linguiça”, pule. Algumas vezes os autores fazem isso para preencher de palavras pouco relevantes a trama, para completar um número de páginas.

Mas o essencial de tudo é que nada pode ser encarado como obrigação. Usufrua como se fosse uma viagem ou um passeio descompromissado, suave e interessante no passar das páginas, sem atropelos para chegar na linha final do livro. A cada leitura, um livro adquire sua devida importância no enriquecimento da alma.

Marcia Saito é designer gráfico e digital, ilustradora e programadora e-learning. Mora em São Paulo com seus três filhos. Tem por paixão e hábito ler compulsivamente, tendo por preferência Literatura Fantástica, Romance Policial e Mistérios, além de assistir a várias séries de tevê relacionadas aos temas preferidos. Colabora atualmente com o site EntreContos, além de preparar textos para futura publicação. Suas histórias ganham vida para encantar os leitores com magia, humor e humanidade.

Anúncios

2 comentários em “O Hábito da Leitura: como cultivá-lo se não temos tempo?

  1. Bom artigo Marcia, nesses tempos de correria procuro reservar um tempo para ler, “um tempo para mim”.

    Cada dia mais me rendo à tecnologia e utilizo um tablet para isso, confesso que ainda não estou plenamente adaptado, vez em quando me pego com saudades do cheiro da tinta, do toque do papel e com a vista cansada pela luminosidade. Mesmo os reveses não são suficientes para suplantar a vantagem de ter sempre à mão uma biblioteca inteira, o acesso imediato às livrarias da WEB também é outro fator relevante nesta escolha, sem contar o preço cada vez mais baixo dos e-books.

    Ainda persisto com o livro tradicional – tenho certeza que não o abandonarei – mas com os e-reader´s da vida acho que consegui encaixar a leitura na minha rotina corrida.

  2. Olá Márcia,

    Adorei o o seu texto! Concordo com tudo. Acrescentaria um item que tem sido uma influência muito positiva em minha vida – acompanhar algum canal literário da internet. Isso motivo, influencia, nos coloca a par das novidades, etc. Gosto muito do canal da Tatiana Feltrin, pois ela lê gêneros bem diversificados e suas “resenhas” orais são sempre muito motivadoras. Tenho lido mais após acompanhar esse canal. Obrigada pelo texto. Abraços. Kelly.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s